Uma nota para as perguntas brasileiras

English

Saudações em Cristo, e sejam bem-vindos ao website da Santa Metropolia da America!

Recebemos muitas consultas de pessoas localizadas no Brasil sobre como se tornarem cristãos ortodoxos. Depois de receber uma tal investigação, buscamos estabelecer uma missão, em 2001, quando Sua Excelência o Bispo Christodoulos e o Padre Theodore Giannakopoulos viajou para Recife, a convite de alguns fiéis. Infelizmente, o esforço não deu frutos permanentes.

Desde aquela época, as perguntas continuam a virem, mas devido aos problemas logísticos de distância, não temos sido capazes de tentar novamente estabelecer uma missão. Ainda assim, o Brasil está incluído no território canônico de nossa Santa Metropolia, e nós rezamos ardentemente para que Deus abençoe para que um dia haja Igrejas Ortodoxas tradicionais fundadas em todo o Brasil. Talvez você, querido leitor, vai ser uma parte deste esforço. Aqueles que perguntam sobre nossa Igreja, muitas vezes têm os mesmos tipos de perguntas, e por isso acreditamos que é melhor formularmos um resumo deles e publicá-las aqui para que qualquer pessoa interessada possa ter as informações antes de nos contactar. O fato lamentável é que algumas pessoas tiveram mal-entendidos a respeito de quem somos, e ao mesmo tempo, nós descobrimos que algumas pessoas não são sérias. Por favor, leia as seguintes informações, e você estará convidado a entrar em contato conosco se tiver vontade de dar os próximos passos para se tornar um cristão ortodoxo na nossa metropolía, e formar o núcleo de uma missão no Brasil.

Em Cristo,
A Equipe do site


Q: O que é a Igreja Ortodoxa?

R: A Igreja Ortodoxa é a Igreja original estabelecida por Jesus Cristo, no dia de Pentecostes. Uma análise objectiva da história vai mostrar que somente a Igreja Ortodoxa tem preservado toda a doutrina dos Apóstolos (não como os Protestantes) que acrescentaram algumas doutrinas adicionais (como os católicos romanos fizeram). Os Apóstolos apontaram sucessores que nomearam em cada lugar que eles ministravam, e estes sucessores foram chamados bispos. A fé foi transmitida principalmente de forma oral no início, com os Apóstolos e Bispos enviando cartas às Igrejas que haviam estabelecido ou estavam planejando visitar. Além disso, relatos da vida e os ensinamentos de Jesus foram escritas, e quatro desses escritos foram aprovados pela Igreja, como os Evangelhos, e os escritos falsos foram rejeitados. Eventualmente, no final do 4º século, foram realizados concílios que confirmou a lista dos livros que foram inspirados por Deus, e esta coleção foi chamada as Sagradas Escrituras (Bíblia), constituída dos Velho e Novo Testamentos.

Originalmente, a Igreja Católica Romana foi parte da Igreja Ortodoxa, o patriarca do Ocidente detinha o título de Papa, que foi um título que também foi dado ao patriarca de Alexandria, Antioquia e Jerusalém. Gradualmente, o Papa do ocidente afirmou mais autoridade para si próprio e, eventualmente, exigiu que os outros patriarcas o reconhecessem como a "cabeça" da Igreja. O Papa também começou a permitir inovações na Igreja, como o Filioque, que foi uma modificação unilateral do Credo estabelecido no Concilio de Nicéia e Constantinopla, vários séculos antes. Eventualmente, o único patriarcado ocidental sob o Papa de Roma quebrou a união com os quatro Patriarcados Orientais, que se mantiveram ortodoxos, a mil anos atrás. Desde aquela época, os católicos romanos continuram a inovar, e geraram várias igrejas separatistas, conhecidas como as Igrejas Protestantes. Alguns dos objetivos protestantes foram louváveis, mas ao invés de retornar para a Ortodoxia, acrescentaram os seus próprios extremos e inovações para a fé, e jogaram fora algumas das doutrinas claramente realizadas pela Igreja Primitiva, como a intercessão dos santos, e a crença nos sacramentos. Ao mesmo tempo, porém, a Igreja Ortodoxa manteve-se firme na fé original dos apóstolos, e convida todos os católicos romanos e protestantes para retornarem ao seio da Igreja de Cristo.

Q: O que é a Verdadeira Igreja Ortodoxa?

R: A Igreja Ortodoxa é a luz de Cristo brilhando em um mundo de trevas, uma cidade sobre uma colina, chamando todas as pessoas com uma visão do reino celestial, dando-lhes uma chance de provar o êxtase da vida com Deus, tanto agora no presente mundo em um pequeno aperitivo, e eternamente, na vida futura. Este processo envolve uma luta contra o pecado e as paixões subjacentes, uma verdadeira luta. Nem todo mundo pode terminar essa luta, por causa da fraqueza da carne, e as tentações dos demônios, os anjos que sucumbiram há muito tempo à sua própria vontade e ao orgulho, e que agora buscam derrubar os seres humanos com eles.

Uma das maneiras que os demônios tentam derrubar os homens, e uma das maneiras que o homem justifica a sua incapacidade de dominar o seu pecado, é a criação de religiões alternativas e sistemas de crenças para sustentar sua rebelião contra Deus. Ao substituir a Deus com uma própria imaginação, o homem pode fingir que ele está no caminho certo, apesar de não ter de enfrentar a difícil tarefa de destruir o pecado e mudando sua própria vida. Os Demônios muitas vezes apoiam os homens nesse processo através da realização de imitações baratas de milagres, afim de iludir o homem a pensar que ele está experimentando o verdadeiro Deus.

Isto é especialmente atraente quando os homens que eram originalmente parte da verdadeira fé romperam e formaram versões falsificadas da Igreja. Algumas dessas divisões são o resultado de heresias, a mudança de crenças ortodoxas e alguns são chamados cismas, quebrando a distância da autoridade da Igreja legal (canônica). Um processo que teve suas raízes nas décadas anteriores culminou em 1920 e 1924. Em 1920, o Patriarcado Ecumênico de Constantinopla, o primeiro patriarcado em termos de honra na Igreja Ortodoxa, emitiu uma encíclica dirigida às "Igrejas de Cristo, onde quer que estejam", que negou a unicidade da Igreja Ortodoxa, e tentou atingir a unidade da Igreja não convertendo os caídos de volta à Igreja, mas por comprometer a própria verdade da Igreja, a fim de realizar uma reunião corporativa com base no mínimo denominador comum.

Uma das formas propostas de se fazer isso foi a adoção do chamado Novo Calendário, que anteriormente tinha sido condenado pela Igreja Ortodoxa em três Sínodos no século 16. A Igreja da Grécia foi a primeira a adotar essa inovação, em 1924. Nós chamamos essa heresia geral de "ecumenismo", que é encontrado em várias formas, em suas formas mais extremas, pois ele chama irmãos e Igrejas irmãs aqueles hereges que têm sido condenado várias vezes pela Igreja Ortodoxa. Esta heresia, também inspirou uma heresia filha, o Modernismo, que visa a modernização da Igreja Ortodoxa, diminuindo o jejum, a remoção dos distintivos trajes clericais, e outras tais coisas.

Todas essas alterações de fé e prática atingiram fortemente a vida espiritual, não são coisas opcionais. Os Pais da Igreja estabeleceram estas práticas tão boas para as almas, e séculos de santos cresceram perto de Deus seguindo-os. Os ecumenistas e os modernistas, no entanto, acreditam que eles sabem melhor do que os Pais, a quem eles acreditam frequentemente que eram ignorantes, ou limitados por sua própria cultura, enquanto que o homem moderno de hoje, de alguma forma conhecer melhor.

Quando estas inovações ocorreram, grupos de fiéis em cada Igreja local, resistiu à mudança, e eles foram chamados os Verdadeiros Ortodoxos. Até este dia, os Verdadeiros Ortodoxos não adotaram o novo calendário, não oram com hereges ou reconhecê-os como parte da Igreja, e não alteraram a liturgia ou outras práticas herdadas pelos pais. O adjetivo Verdadeiro é usado porque quando acreditamos que somos a Igreja Ortodoxa, os hereges continuam a chamarem-se a si de Ortodoxos, exigindo assim uma qualificação da nossa parte.

Q: Eu vejo que algumas Igrejas chamam-se Verdadeiros Ortodoxos ou Velhos Calendaristas também no Brasil; porque eu nao deveria juntar-me a um deles?

R: Uma vez que as paróquias do Brasil que estavam sob bispos do Calendário dos Pais (Velho Calendário), mas em algum momento na década de 1990, eles entraram em comunhão com o resto dos ecumenistas através da Igreja Ortodoxa Polonêsa. Há também muitas pessoas que se dizem ortodoxos ou Verdadeiros Velhos Calendaristas e não são, muitos deles têm ordenação do que se poderia denominar bispos “vagantes”, ou em outras palavras, dos bispos não têm uma posição eclesiástica em qualquer Igreja, geralmente bispos que foram depostos por algum motivo ou outro, e começaram a ordenar as pessoas que repetiram o processo. Como você vai ver explicada com mais detalhes a seguir, a Igreja Ortodoxa não aceita que a sucessão apostólica continua depois de um bispo deixar a Igreja, assim como as ordenações são consideradas inválidas pela Igreja Ortodoxa. Os bispos vagantes que se dizem ortodoxos sabem disso, mas preferem usar o entendimento católico romano, uma vez que lhes daria um status. Este tipo de abordagem é profundamente desonesto, embora às vezes as pessoas são realmente ignorantes, devido ao triste estado das coisas no mundo de hoje.

Um bispo verdadeiramente ortodoxo é aquele que não comunga com os Novos Calendaristas, não se envolve em oração conjunta com os hereges, e faz parte de um Sínodo que tem uma confissão ortodoxa, que pode traçar a sua história desde antes dos acontecimentos de 1924. Qualquer outro bispo afirmando ser Verdadeiro ou Velho Calendarista Ortodoxo, que não pode provar isso, teria de ser não considerado verdadeiro ortodoxo.

Q: Eu fui batizado também em outra Igreja. Como deveria eu ser recebido na Igreja Ortodoxa?

R: Seguindo o exemplo de São Cipriano de Cartago e muitos outros pais, inclusive em tempos mais recentes St. Nikodemos o Hagiorita, um compilador do século 19 dos cânones e escritor espiritual bem conhecida, a Igreja Ortodoxa não aceita que haja sacramentos válidos fora da Igreja. A Igreja Ortodoxa tem sempre reservado o direito de batizá-lo e converter alguém, independentemente de por quem ele foi batizado em outra Igreja anteriormente. Tem, às vezes, escolhido para dar graça após o fato (na verdade, para corrigir), o batismo de heréticos por outros métodos, como a unção com o óleo santo (Crisma), quando havia uma razão suficiente para fazê-lo, uma prática mencionada por São Basílio Magno, em lugares como a Primeira Epístola Canônica, ou por exemplo, no Concílio Ecumênico de Trullo, canon 95. Nesses casos, tríplice imersão foi pressuposta. Nos últimos séculos, a Igreja russa permitiu a alguns de dar crisma quando faltava três completas imersões, mas teve três aspersões, essa prática foi invertida em 1971 pela Igreja Ortodoxa Russa fora da Rússia. A Igreja Grega tem insistido explicitamente batizando aqueles sem três imersões, desde o tempo do Oros de 1755, embora o batismo tinha ocorrido antes dessa época também.

O ponto básico é, que de nenhuma maneira que a Igreja considera batismos não-ortodoxos como válidos em si, mas optou por diversas vezes a utilizar diversos métodos para restaurar os hereges e cismáticos para o seio da Igreja. Em nossos tempos modernos, devido à heresia do ecumenismo, o risco de causar confusão é grande demais para permitir a utilização generalizada da economia e, de fato, muitas igrejas têm afastado completamente com uma coisa parecida com um verdadeiro batismo. Por esta razão, todos os católicos romanos e protestantes, serão dado o Santo Batismo quando de sua entrada na Igreja Ortodoxa. Aqueles provenientes dos Ecumênistas e igrejas do Novo Calendário, por outro lado, será analisada numa base caso a caso, principalmente, para ver se há um registro de como foi realizado o seu batismo. Se eles têm três imersões, eles normalmente serão recebidos por profissão de fé e crisma.

Q: Eu sou um clerigo de outra Igreja com válidas ordens. Como deveria a Igreja Ortodoxa receber-me?

R: Dado que a Igreja Ortodoxa não aceita o batismo dos hereges, ele certamente não aceita que os hereges e cismáticos possam ter a sucessão apostólica. A idéia de que a sucessão apostólica pode existir para além da comunhão com a Igreja foi avançada por Santo Agostinho de Hipona, que ao mesmo tempo venerado pela Igreja Ortodoxa, realizou algumas opiniões que estavam em desacordo com o consenso do resto da Igreja. Sua intenção era combater os donatistas, que declararam que a graça dos sacramentos dependia da piedade pessoal do sacerdote ou bispo. Isto, obviamente, teria o efeito de fazer que alguém nunca soubesse se ele realmente tinha recebido os sacramentos, porque nunca sabemos se o padre era digno. No entanto, quando se trata de heresia, e as pessoas que tenham sido publicamente cortadas da Igreja, este é um caso diferente. A Igreja Ortodoxa não tem nenhum problema em afirmar que tais pessoas não têm a graça. A Graça só pode existir no interior da Igreja, porque não é um poder mágico possuído por uma pessoa de direito. Não existe o conceito de uma marca indelével na Igreja Ortodoxa. Se alguém tem a sucessão apostólica, é para garantir que o seu ensinamento tenha sido aprovado por toda a Igreja, se ele deixar a comunhão com a Igreja, então ele perde a bênção para trabalhar como um ministro da Igreja. Portanto, aquela conversão à ortodoxia de membros não-ortodoxos que se encontram em ordens, serão batizados. Se, em algum momento no futuro, eles serão chamados a serem sacerdotes na Igreja Ortodoxa, caberá ao bispo decidir esse curso de ação. O sacerdócio é uma tarefa grave, que não pode ser encarado levianamente.

Q: Eu sou um leigo interessado em tornar-me um sacerdote. Como eu devo fazer?

R: A primeira questão a se perguntar é se você é Ortodoxo, e se você foi devidamente batizado. Ninguém deve tentar se tornar um sacerdote antes que ele mesmo seja um verdadeiro membro da Igreja de Cristo! Todas as coisas devem ocorrer em seu próprio tempo.

No entanto, existe uma grande necessidade de sacerdotes, de modo que a Igreja está sempre à procura de candidatos. Um homem que foi batizado como um adulto tem a vantagem de não ter impedimentos para o sacerdócio. Se ele se sente um chamado para servir a Deus, e é paciente, melhorando-se diariamente e vivendo em obediência a um pai espiritual, em seguida, no momento oportuno, a Igreja irá ordená-lo com alegria. Portanto, se você sente um chamado para servir a Deus, em primeiro lugar coloque a sua própria casa em ordem. Batismo, e se contente em servir a Deus como um leigo. Orar, jejuar e confessar a seu pai espiritual. Ele irá ajudá-lo a discernir se você tem uma vocação para servir como um sacerdote, e ele vai avisar ao bispo se este for o caso.

Q: A Igreja Ortodoxa não tem ordens monasticas para unir-me?

R: A Igreja Ortodoxa não tem ordens monásticas. Todos os mosteiros ortodoxos seguem basicamente o mesmo Typikon, com ligeiras adaptações, de região para região. Nós estamos procurando estabelecer não apenas as missões, mas também mosteiros no seu país, e assim, naturalmente, nós estamos interessados em ouvir aqueles que gostariam de se tornarem monges. Tal como acontece com o sacerdócio, é um empreendimento sério que requer tempo e esforço. Você está convidado a visitar um dos nossos mosteiros, nos Estados Unidos ou na Grécia por um tempo, para ver se vocês estão chamados a esta vida. No entanto, se razões financeiras guardá-los disto, então você deve mencionar o seu desejo ao seu pai espiritual, que irá ajudá-lo no processo de discernimento, e ajudá-lo a alcançar seu objetivo no momento oportuno.

Q: Como eu posso iniciar o processo de conversão?

R: Se você concorda com tudo anteriormente explicado, e está pronto para iniciar o processo de adesão à Igreja Ortodoxa, contacte o nosso departamento de missões em This email address is being protected from spambots. You need JavaScript enabled to view it.. Nós podemos receber a correspondência em Inglês, espanhol, grego, russo e Português.

Você começará uma regra de oração sob a obediência de um pai espiritual. A você também será dado a leitura, para que seja capaz de discutir com ele, em ordem para catequizá-lo e prepará-lo para o batismo. Depois de um tempo mínimo de um ano, vamos discutir as modalidades de batismo, quando perceber que você está preparado. Você deve ser paciente, como nada de bom vem rapidamente, mas também a promessa que você não terá que esperar para sempre!

A situação que se apresenta hoje, onde a ortodoxia tem sido tão comprometida, e há tão poucos ortodoxos no mundo, é realmente triste, mas não vai parar a pessoa sincera de ser aceita no seio da Igreja. A graça de Deus está disponível para todos que a procuram, apesar das limitações. Aguardamos o seu contato.

Orthodox Awareness

Ecumenism in the Homestretch and the Orthodox Witness of a Contemporary Saint and Confessor

A Synodal Gathering of the Church of the Genuine Orthodox Christians of Greece at the Port Authority of Piræus

Keynote Presentation on the Sunday of Orthodoxy: February 16/March 1, 2015 by His Grace, Bishop Klemes of Gardikion, Secretary of the Holy Synod

Ecumenism in the Homestretch and the Orthodox Witness of a Contemporary Saint and Confessor

Ἡ Τελικὴ Εὐθεῖα τοῦ Οἰκουμενισμοῦ καὶ ἡ Ὀρθόδοξη Μαρτυρία Συγχρόνου Ὁμολογητοῦ Ἁγίου

Missions

Saint John of Kronstadt - Bunnell, Florida

St. John of Kronstadt Orthodox Church began as a mission parish in the year 2000, in a home chapel in Palm Coast, FL – a small town on Florida’s northeast coast located between St. Augustine and Daytona Beach. After two years, it became necessary to have services in area community centers, rented for Sundays and other Holy Days. Read more...

Ask A Priest

Fasting

Q. There seems to be a lot of variation in how people observe fasting, but my confessor told me to fast from oil on Wednesday and Friday. Oil is a pretty vague category, though, and I was wondering if I could get a more explicit description of what kinds of food and drink are excluded on strict fast days. Read more...